Sobre

Este jogo eletrônico foi desenvolvido a fim de abordar a cultura do povo indígena Kaxinawá (ou Huni Kuin, como os próprios costumam se denominar), a fim de possibilitar uma experiência de intercâmbio de conhecimentos e memórias indígenas por meio de uma nova linguagem: os videogames.

Sua proposta é propiciar uma imersão no universo Huni Kuin, em que os jogadores possam entrar em contato com saberes indígenas – como os cantos, grafismos, histórias, mitos e rituais deste povo – possibilitando uma circulação destes conhecimentos por uma rede mais ampla.

Neste sentido, a produção do jogo foi concebida como uma criação coletiva da equipe de pesquisadores, da equipe técnica e dos narradores, desenhistas e cantadores indígenas, que buscaram um esforço permanente de tradução entre culturas, mídias e formatos.

Artigo: MENESES, G. Saberes em jogo: a criação do videogame Huni Kuin: Yube Baitana. GIS – Gesto, Imagem e Som – Revista de Antropologia, vol. 2, n. 1, 2017, pp. 83-110.

Artigo: MENESES, G. & MARIN, N. Videogame Huni Kuin: uma aventura antropológica, 2016.

Lançamento do videogame “Huni Kuin: os caminhos da jiboia”, Abril 2016.

Mostra Rumos, Itaú Cultural, Agosto 2015.

Relatório: II Oficina de Audiovisual “Desenhos, cantos e histórias do povo Huni Kuin”, 2015.

Relatório: I Oficina de Audiovisual “Desenhos, cantos e histórias do povo Huni Kuin”, 2014.